top of page

Vem cá, deixa eu te indicar um livro! Parte 4

Toda semana a indicação de 7 dos meus entrevistados nas lives da quarentena


A minha lista de leitura só aumenta e eu não vou passar por isso sozinha. Hoje trouxe as indicações de Lino, Marcos de Sá, Leila Rego, Bruna Fontes, Anderson Bernardes, Lya Galavote e Cibele Britto.


Se você perdeu os últimos posts, clique aqui, aqui e aqui.


Indicação de Lino



Gemma não quer que seu filho Conor, um premiado escritor no espectro do autismo, termine sozinho e decide assumir a tarefa de encontrar o namorado perfeito para ele.

Não será nada fácil para Aidan, o escolhido; Conor é sincero demais, obcecado por seus livros e nunca ri das piadas dele!

Prepare-se para sentir o coração aquecido e se divertir com as armações de Gemma, a sinceridade de Conor e a espontaneidade de Aidan. Esse livro é tão fofo e apaixonante, que nunca mais fará você duvidar do amor.




Indicação de Marcos de Sá



Stark McClellan tem 14 anos. Por ser muito alto e magro, tem o apelido de Palito, mas sofre bullying mesmo porque é “deformado”, já que nasceu apenas com uma orelha. Seu irmão mais velho, Bosten, o defende em qualquer situação, porém ambos não conseguem se proteger de seus pais abusivos, que os castigam violentamente quase todos os dias. Ao enfrentar as dificuldades da adolescência estando em um lar hostil e sem afeto – com o agravante de se achar uma aberração –, o garoto tem na amizade e no apoio do irmão sua referência de amor, e é com ela que ambos sobrevivem. Um dia, porém, um episódio faz azedar terrivelmente a relação entre Bosten e o pai. Para fugir de sua ira, o rapaz se vê obrigado a ir embora de casa, e desaparece no mundo. Palito precisa encontrá-lo, ou nunca se sentirá completo novamente. A busca se transforma em um ritual de passagem rumo ao amadurecimento, no qual ele conhece gente má, mas também pessoas boas. Com um texto emocionante, personagens tocantes e situações realistas, não há como não se identificar e se envolver com este poético livro.“Smith acelera as emoções e a violência neste livro realista e poderoso, trazendo abuso sexual, drogas pesadas e falta de um lar, ao mesmo tempo em que inclui personagens positivos que dão a Palito o apoio de que ele desesperadamente precisa.


Meus dias com você, Clare Swatman

Indicação de Leila Rego



Numa fatídica manhã, Ed e Zoe têm uma discussão terrível, algo recor­rente no seu casamento em crise, e ela acaba se despedindo de forma brusca quando ele sai para o trabalho.

Pouco tempo depois, um ônibus acerta a bicicleta de Ed, matando-o e deixando Zoe arrasada por não ter lhe dito quanto o amava. Se tivessem ficado mais um pouco juntos aquela manhã, ele ainda estaria vivo? Será que poderiam ter reconstruído o amor que os unira?

Após dois meses, Zoe ainda não conseguiu se conformar. De luto, decide cuidar do jardim do marido, quando acaba caindo e desmaiando. Então, algo estranho acontece: ao acordar, ela está em 1993, no dia em que conheceu Ed na faculdade.

A partir desse instante, Zoe passa a reviver momentos cruciais de sua vida e percebe que talvez tenha conseguido uma segunda chance: uma oportunidade de fazer tudo diferente, de focar naquilo que realmente importa, de mudar os rumos do relacionamento – e, quem sabe, o destino de seu grande amor.


Dando Um Tempo, Marian Keyes

Indicação de Leila Rego



A vida de Amy O’Connell nunca foi fácil: depois do fim abrupto de seu primeiro casamento, chegou a jurar que jamais se voltaria a se envolver com alguém. Até que Hugh apareceu, carinhoso, charmoso e d­isposto a tudo para conquistá-la.O namoro logo se tornou um novo casamento após o nascimento de uma filha, e, anos mais tarde, apesar de o dinheiro ser curto e o estresse ser muito, Amy pode considerar que sua vida está finalmente entrando numa rotina confortável.É quando Hugh decide que precisa dar um tempo.Não que ele queira terminar ― só quer dar uma pausa: do casamento, das filhas, e, mais do que tudo, da vida a dois. Em meio a uma intensa crise de meia-idade desencadeada pela morte do pai e de um grande amigo, ele decide recuperar o tempo perdido de sua vida, viajando pelo sudeste asiático durante seis meses. E nada do que Amy disser vai fazer com que ele mude de ideia.Isso a deixa à beira de um colapso nervoso, pois muita coisa pode mudar em seis meses. Quando Hugh voltar ― se voltar ―, será ainda o mesmo homem com quem se casou? E será ela a mesma mulher?Porque, se Hugh está dando um tempo do casamento, ela também está, não é?



Paulo e Estêvão, Chico Xavier

Indicação de Leila Rego



Quem era Paulo de Tarso? Um fariseu fanático, obstinado perseguidor de cristãos e da nascente doutrina cristã? Ou um ser predestinado por determinação divina, que recebeu a dádiva da aparição de Jesus, em gloriosa visão às portas da cidade de Damasco, convertendo-se ao Cristianismo? A leitura deste livro nos mostrará a grandeza de Paulo de Tarso. Corajoso, intrépido e sincero que, arrependido de uma postura radical que culminou no apedrejamento de Estêvão - o primeiro mártir do Cristianismo -, humildemente empreendeu acelerada revisão de conceitos e atendeu ao chamado de Jesus. Em algum ponto da vida todos recebemos um chamado do Cristo. Que temos feito?


Me chame pelo seu nome, André Aciman

Indicação de Bruna Fontes



A casa onde Elio passa os verões é um verdadeiro paraíso na costa italiana, parada certa de amigos, vizinhos, artistas e intelectuais de todos os lugares. Filho de um importante professor universitário, o jovem está bastante acostumado à rotina de, a cada verão, hospedar por seis semanas na villa da família um novo escritor que, em troca da boa acolhida, ajuda seu pai com correspondências e papeladas. Uma cobiçada residência literária que já atraiu muitos nomes, mas nenhum deles como Oliver.

Elio imediatamente, e sem perceber, se encanta pelo americano de vinte e quatro anos, espontâneo e atraente, que aproveita a temporada para trabalhar em seu manuscrito sobre Heráclito e, sobretudo, desfrutar do verão mediterrâneo. Da antipatia impaciente que parece atravessar o convívio inicial dos dois surge uma paixão que só aumenta à medida que o instável e desconhecido terreno que os separa vai sendo vencido. Uma experiência inesquecível, que os marcará para o resto da vida.


Indicação de Anderson Bernardes



Rubem Braga nunca deixou de escrever regularmente crônicas para jornais e revistas, vindo a construir um verdadeiro fenômeno: o de ser o único escritor a conquistar um lugar definitivo na nossa literatura esclusivamente como cronista. Abordando sempre assuntos do dia a dia, falando de si mesmo, de sua infância, mocidade, primeiros amores, impregnava tudo que escrevia de um grande amor à vida ― a vida simples, não sofisticada, dos humildes e sofredores ―, construindo assim as mais belas páginas de nossa literatura.




Rosinha minha canoa, José Mauro de Vasconcelos

Indicação de Lya Galavote



Rosinha, Minha Canoa introduz o seu público a uma Literatura que, combinando fantasia e ternura, conta a singela história de Zé Orocó e sua canoa, Rosinha, com quem ele conversa. A quem ele ama, por quem é amado. Sua companheira nesse decorrer da vida, que é o rio. O primeiro capítulo de Rosinha, Minha Canoa é intitulado “Conversa de Amor”. No entanto, a obra, inteira, é uma troca amorosa entre os personagens e a natureza. O rio, os animais, a floresta, o céu, o vento, os murmúrios e cantos da vida tornam-se tão exuberantes nos cenários invocados por José Mauro de Vasconcelos, como se trouxessem o espírito das lendas para brincar nas páginas deste romance. Rosinha tem caráter, caprichos, alma. E Zé Orocó é o único a quem ela se manifesta como uma criatura dotada de consciência, memória e sentimentos. No mais, temos um rio que atravessa a floresta; a floresta que germina um mundo; um mundo onde coisas assim podem acontecer. E para isso, basta percorrer o rio. Basta o rio.


Anne de Green Gables, L. M. Montgomery

Indicação de Lya Galavote



Quando os irmãos Marilla e Matthew Cuthbert, de Green Gables, na Prince Edward Island, no Canadá, decidem adotar um órfão para ajudá-los nos trabalhos da fazenda, não estão preparados para o “erro” que mudará suas vidas: Anne Shirley, uma menina ruiva de 11 anos, acaba sendo enviada, por engano, pelo orfanato.

Apesar do acontecimento inesperado, a natureza expansiva, sempre de bem com a vida, a curiosidade, a imaginação peculiar e a tagarelice da menina conquistam rapidamente os relutantes pais adotivos. O espírito combativo e questionador de Anne logo atrai o interesse das pessoas do lugar – e muitos problemas também.

No entanto, Anne era uma espécie de Pollyanna, e sua capacidade de ver sempre o lado bonito e positivo de tudo, seu amor pela vida, pela natureza, pelos livros conquista a todos, e ela acaba sendo “adotada” também pela comunidade.


Indicação de Cibele Britto



O psiquiatra Augusto Cury debruça-se aqui sobre nossa capacidade de sonhar e quanto ela é fundamental na realização de nossos projetos de vida. Os sonhos são como uma bússola, indicando os caminhos que seguiremos e as metas que queremos alcançar. São eles que nos impulsionam, nos fortalecem e nos permitem crescer. Se os sonhos são pequenos, nossas possibilidades de sucesso também serão limitadas. Desistir dos sonhos é abrir mão da felicidade, porque quem não persegue seus objetivos está condenado a fracassar 100% das vezes. Analisando a trajetória vitoriosa de grandes sonhadores, como Jesus Cristo, Abraham Lincoln e Martin Luther King, Cury nos faz repensar nossa vida e nos inspira a não deixar nossos sonhos morrerem.



*Sinopses retiradas do site da Amazon.

22 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page