top of page

Vamos de Tag?

Atualizado: 12 de abr. de 2020


A escritora Fernanda Belém respondeu no blog dela a Tag Ler é um presente e me convidou a fazer o mesmo. Como eu não sou de recusar convite bom, cá estou para dividir com vocês a minha percepção sobre algumas leituras que fiz.

A ideia é do blog 1 Pedra No Caminho.

Vamos lá?

1. “É só uma lembrancinha…” (Um livro curto ou com menos de 100 páginas que tenha te encantado.)

Confissões de Adolescente, da Maria Mariana. Amo esse livro! Pequeno, fácil de ler e é quase um raio-x da adolescência de muita gente.

2. “Não precisava!” (Um livro que você amou ganhar de presente ou qual tipo de livro você mais gosta de ganhar.)

Quase Memória, do Carlos Heitor Cony. Ganhei de presente do meu pai e foi meu primeiro contato com o Cony, virei fã e nunca me decepcionei com um livro dele.

3. A embalagem perfeita (Uma capa sensacional.)

Sangue Azul, da Ana Carolina Delmas. A capa é bonita, mas a diagramação é que me encantou de verdade. O livro é de um cuidado, um preciosismo, lindo demais! Tem resenha dele aqui.

4. Presente dos deuses (Um livro que mudou sua vida.)

O Menino Maluquinho, do Ziraldo. Sempre levo um exemplar quando vou palestrar em alguma escola porque ele é o responsável pelo meu amor aos livros. Ele chegou na minha vida muito cedo, quando eu ainda nem sabia ler. Comprei um exemplar para o meu filho assim que ele nasceu. Falo dele aqui nesse link.

5. Surpresa! (Um livro que você começou a ler sem muitas expectativas e te conquistou.)

Crônica de Uma Namorada, da Zélia Gattai. Eu peguei alguns livros emprestados para ler e esse veio no meio. Eu era muito nova, não conhecia Zellia Gattai, a capa não me atraiu, mas foi amor ao primeiro parágrafo. Ainda vou reler, sob uma perspectiva mais madura, para resenhar para vocês.

6. “É a sua cara!” (Uma narrativa ou personagem com os quais você se identifique.)

A Marca de uma Lágrima, do Pedro Bandeira. Eu fui uma adolescente sofredora, que amou sem ser amada muitas vezes. Também escrevia versinhos para desafogar o coração e por isso sempre me identifiquei com a Isabel, protagonista do livro. Falei dele neste post.

7. Presente de grego (Um livro que não era nada do que você pensava e te decepcionou.)

Os Homens São de Marte, as Mulheres São de Vênus, do John N. Gray. Detestei num grau que não consigo expressar. Autoajudazinha safada e eu detesto essa categoria. Sei que muita gente gosta, peço desculpas, mas não consigo gostar.

8. “mais afortunado é dar do que receber…” (Um livro especial que você deu de presente ou daria.)

Infância, de Maíra Gomes. Pode parecer clichê, mas toda vez que eu presenteio alguém com Infância é como se eu estivesse dizendo "Senta aqui, deixa eu te contar como minha infância foi feliz!". É sem dúvidas o meu presente favorito.

9. “Pode trocar, se precisar!” (Um livro que você começou a ler, mas teve de parar: não deu para continuar!)

Eu sou tinhosa, né? Mesmo que eu não esteja gostando eu me obrigo a terminar o livro. Mesmo que eu largue e depois retome, que demore um século, um dia eu termino. Então, não tenho um livro para essa categoria, mas para não deixar em branco, vou colocar aqui o último livro que quase foi abandonado, mas que resisti e que, na verdade, eu concluí que não devia nem ter começado a ler: O Último Templário, do Raymond Khoury.

10. Ainda na wishlist…

O Diário de Anne Frank, de Anne Frank. Eu mantenho esse livro no topo das minhas ambições há um bom tempo. Motivo: Ainda não tomei coragem para ler. Eu estive no cenário da história e, por serem tão chocante os relatos da época do Nazismo, fico reticente a iniciar essa leitura. Mas uma hora vai!

Já conheciam os livros que eu citei aqui? Me conta quais são os seus! PS: Minha preferência por autores brasileiros ficou bem clara com essa Tag.

18 visualizações0 comentário
bottom of page