top of page

Vem cá, deixa eu te indicar um livro! - Parte 10

Toda semana a indicação de 7 dos meus entrevistados nas lives da quarentena


Tem livro que a gente sente vontade de obrigar as pessoas a lerem, de tão bom que ele é. Meus convidados também têm os seus livros favoritos e hoje a gente confere a indicação de Paula Perin, Luiz Antônio Simas, Ana Cristina Gluck, Sabrina Mascarenhas, JL Amaral, Saulo Pessato, Beatriz Cortes.


Se você perdeu as últimas indicações é só clicar aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.


Indicação de Paula Perin



A bíblia do marketing digital. Como vender on-line e criar um negócio de sucesso. Foi isso que Jeff Walker, autor deste livro e criador da Product Launch Formula™, desenvolveu. Ele mudou a vida de milhares de pessoas com esse método, e agora também pode mudar a sua, ajudando-o a criar um negócio que ame e a alcançar a vida de seus sonhos. A Product Launch Formula™ é um método de lançamento de produtos on-line que abrange as mais diversas áreas de negócios e marketing. Ao seguir os passos indicados neste livro por Jeff, será possível planejar um lançamento de forma eficaz, atraindo o público-alvo para seu produto e ganhando, provavelmente, muito dinheiro. A fórmula de Jeff Walker já foi comprovada por vários de seus alunos, que lançaram produtos em mercados diversificados, desde o aconselhamento sentimental aos fundos de investimento mútuos, passando por aulas de guitarra. Os lucros arrecadados e os resultados obtidos em praticamente todos os casos guiados pela Product Launch Formula™ são inacreditáveis, mas verdadeiros. O sucesso bateu à porta de todos os que se utilizaram desse método inovador e eficiente.


Primeiras Estórias, Guimarães Rosa;

Indicação de Luiz Antônio Simas


Em "Primeiras estórias", João Guimarães Rosa constrói narrativas curtas que tratam de matérias diversas da experiência humana, como a busca da felicidade, a necessidade do autoconhecimento e as maneiras de se conviver com a inevitável finitude da vida. Composto por 21 contos, “As margens da alegria”, “Sorôco, sua mãe, sua filha”, “Famigerado” e “A terceira margem do rio” são alguns dos feitos sublimes desse escritor, que levou a artesania da palavra a patamares jamais experimentados na literatura de língua portuguesa.




Aprendizados, Gisele Bündchen;

Indicação de Ana Cristina Gluck


A caminhada de Gisele Bündchen começou no Rio Grande do Sul, numa casa com cinco irmãs, jogando vôlei e resgatando cães e gatos de rua. Nessa época, a carreira dos sonhos de Gisele estava bem longe das passarelas e mais próxima das quadras de vôlei. Mas, aos 14 anos, numa viagem a São Paulo, o destino interveio e colocou um olheiro em seu caminho.

Quatro anos depois, em 1998, sua participação no desfile memorável de Alexander McQueen em Londres - debaixo de uma chuva artificial - fez sua carreira espetacular como modelo deslanchar e pôs fim à era heroin chic da moda. Desde então já estampou quase 450 campanhas publicitárias e mais de 1.200 capas de revistas e participou de cerca de 500 desfiles das marcas mais influentes do mundo. Gisele se tornou um ícone, deixando uma marca permanente na indústria da moda.

Porém, até hoje, poucas pessoas tiveram a oportunidade de conhecer a verdadeira Gisele, uma mulher cuja vida privada é o oposto de sua imagem pública. Em Aprendizados, ela revela pela primeira vez quem realmente é e quais ensinamentos, ao longo de sua trajetória, a ajudaram a viver uma vida com mais significado. Uma jornada da sua infância de pés descalços em Horizontina à carreira internacional, à maternidade e ao casamento com Tom Brady.

“Neste livro divido alguns aprendizados que me ajudaram a levar uma vida mais consciente e alegre, que me inspiraram a superar cada desafio que enfrentei ao longo dos anos e que me trouxeram uma compreensão mais profunda de mim mesma e do mundo ao meu redor. Espero que eles ajudem você também.” - diz Gisele.

Uma obra que demonstra grande sinceridade e vulnerabilidade, Aprendizados revela a vida íntima de uma mulher extremamente pública.


O Castelo de papel, Mary del Priore;

Indicação de Sabrina Mascarenhas


Conhecida por combinar o rigor da pesquisa historiográfica com uma narrativa fluida e romanceada, a historiadora Mary del Priore narra O castelo de papel, episódios importantes da história recente do Brasil, como a Guerra do Paraguai, a Proclamação da República e a abolição dos escravos, a partir da trajetória da princesa Isabel e do conde d'Eu. Protagonistas de uma história de amor digna de conto de fadas – a união por interesse familiar não impediu que fossem apaixonados por toda a vida – o casal, que teve fundamental importância na corte brasileira, representa o retrato acabado do romance do século XIX. Baseado em uma vasta documentação, O Castelo de Papel, finalista do Prêmio Jabuti na categoria Biografia, reconstrói o mundo que dava sentido ao romance dos dois personagens, conduzindo o leitor a um dos períodos mais interessantes de nossa história. Um tempo onde reis perdiam suas coroas, barões eram aposentados de sua grandeza, mas que, como mostra o romance, príncipes e princesas ainda casavam e eram felizes para sempre.



Indicação de Sabrina Mascarenhas


“Do primeiro disco voador ao último porre, Rita é consistente. Corajosa. Sem culpa nenhuma. Tanto que, ao ler o livro, várias vezes temos a sensação de estar diante de uma bio não autorizada, tamanha a honestidade nas histórias. A infância e os primeiros passos na vida artística; sua prisão em 1976; o encontro de almas com Roberto de Carvalho; o nascimento dos filhos, das músicas e dos discos clássicos; os tropeços e as glórias. Está tudo lá. E você pode ter certeza: essa é a obra mais pessoal que ela poderia entregar de presente para nós. Rita cuidou de tudo. Escreveu, escolheu as fotos e criou as legendas e até decidiu a ordem das imagens , fez a capa, pensou na contracapa, nas orelhas... Entregou o livro assim: prontinho. Sua essência está nessas páginas. E é exatamente desse modo que a Globo Livros coloca a autobiografia da nossa estrela maior no mercado.”


Indicação de JL Amaral


Por anos, boatos sobre Kya Clark, a “Menina do Brejo”, assombraram Barkley Cove, uma calma cidade costeira da Carolina do Norte. Ela, no entanto, não é o que todos dizem. Sensata e inteligente, Kya sobreviveu por anos sozinha no pântano que chama de lar, tendo as gaivotas como amigas e a areia como professora. Abandonada pela mãe, que não conseguiu suportar o marido abusivo e alcoólatra, e depois pelos irmãos, a menina viveu algum tempo na companhia negligente e por vezes brutal do pai, que acabou também por deixá-la.

Anos depois, quando dois jovens da cidade ficam intrigados com sua beleza selvagem, Kya se permite experimentar uma nova vida — até que o impensável acontece e um deles é encontrado morto.



Eu, Augusto dos Anjos;

Indicação de Saulo Pessato


Publicado em 1912, Eu seria o único livro de Augusto dos Anjos. Os 58 poemas aqui reunidos causaram enorme estranhamento no ambiente literário do início do século XX e permanecem ainda hoje como exemplares de uma poesia bastante insólita. Frutos de uma singular aliança entre tendências literárias e filosóficas do período, os poemas de Eu são tributários do cientificismo positivista do século XIX, do formalismo parnasiano, do misticismo simbolista ― vazado pelas doutrinas espirituais do Oriente, que o poeta empresta de Schopenhauer, junto do pessimismo a respeito das coisas humanas ― e das ideias do Naturalismo, que reduzem o homem a seus aspectos biológicos e temperamentais. Anti-idealista, corrosiva e impiedosa na consideração dos destinos humanos, a poesia de Augusto dos Anjos, considerada doentia por muitos de seus contemporâneos, sobreviveu ao século XX muito melhor do que a de autores celebérrimos durante a vida do poeta, como Olavo Bilac e Raimundo Correa.


Sagarana, Guimarães Rosa;

Indicação de Saulo Pessato


"Sagarana" traz cenários e personagens típicos do interior do país, mais especificamente do sertão de Minas Gerais. A linguagem inventiva do livro é outro aspecto que distinguiria para sempre o autor no campo da literatura brasileira. Ao mesmo tempo em que incorpora fragmentos essenciais da oralidade sertaneja, pescando regionalismos e recuperando antigas expressões de linguagem do sertão, Rosa inova com a criação de neologismos cuidadosamente lapidados. Dentre os nove contos que fazem parte do livro, destacam-se os célebres “A hora e vez de Augusto Matraga”, “Conversa de bois” e “O burrinho pedrês”.




Quero ser Beth Levitt, Samantha Holtz;

Indicação de Beatriz Cortes


E se o seu maior desejo, de repente, se realizasse de um jeito que você jamais sonhou?

Amelie Wood perdeu os pais aos doze anos e, desde então, vive em um abrigo de meninas. Com a chegada do seu décimo oitavo aniversário, ela vive agora o temido e esperado momento de deixar o lugar que a acolheu por toda a adolescência para enfrentar o mundo em busca de seus sonhos.

Seu bem mais precioso é o velho exemplar do romance que sua mãe lia para ela, na infância. "Doce Acaso" contava a história de Beth Levit, uma jovem que, como ela, amava o balé e tinha a vida transformada ao conhecer o príncipe Edward. Amie suspira ao reler incansavelmente aquelas páginas, imaginando quando o príncipe da vida real bateria em sua porta... Por isso, ao soprar as velas, não tem dúvida quanto ao seu pedido: "Quero ser Beth Levit!". Através de grandes coincidências e uma trajetória que ela jamais imaginaria, Amie se vê, de repente, no fascinante mundo do cinema, cara a cara com o príncipe mais lindo que sonharia encontrar e lutando para se esquivar da maldade de muita gente invejosa, contando, para isso, com sua melhor arma: um coração puro.




Sinopses retiradas do site da Amazon.

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page